Buracos negros a última festa de nuvens de gás

O elo entre a desmontagem da pressão e os núcleos galácticos ativos


Segundo o novo estudo mostra que alguns buracos negros supermassivos realmente prosperam sob pressão. Sem duvida, já algum tempo que quando galáxias distantes - e os buracos negros supermassivos dentro de seus núcleos - se agregam em aglomerados, esses aglomerados criam um ambiente volátil e altamente pressurizado. Mesmo que, as Galáxias individuais caindo em aglomerados são frequentemente deformadas durante o processo e começam a se assemelhar a águas-vivas cósmicas.

Pois desta forma, curiosamente, a intensa pressão aumenta a criação de novas estrelas nessas galáxias e eventualmente desliga o buraco negro normal alimentando-se de gás interestelar próximo. Depois que, não antes de permitir aos buracos negros a última festa de nuvens de gás e a estrela ocasional.

Segundo os pesquisadores também sugeriram que essa alimentação rápida pode ser responsável pela eventual falta de novas estrelas nesses ambientes. Sendo que, a equipe de pesquisa disse que "saídas" de gás, impulsionadas pelos buracos negros, podem estar desligando a formação estelar.

Conforme informações da astrofísica Priyamvada Natarajan, Faculdade de Artes e Ciências de Yale: "Sabemos que os hábitos alimentares dos buracos negros supermassivos centrais e a formação de estrelas na galáxia hospedeira estão intrincadamente relacionados. Entender precisamente como eles operam em diferentes ambientes de maior escala tem sido um desafio. Nosso estudo revelou essa interação complexa".

Em conformidade deste novo estudo se soma a um importante conjunto de trabalhos do grupo de pesquisa de Natarajan sobre como buracos negros supermassivos se formam, crescem e interagem com suas galáxias hospedeiras em vários ambientes cósmicos.

Além disso, os pesquisadores realizaram simulações sofisticadas de buracos negros dentro de aglomerados de galáxias usando RomulusC, sendo que, alguns testes realizados pela uma simulação desenvolvida pelo grupo de cosmológica que Tremmel, Quinn e outros.

Segundo informações de Ricarte, desenvolveu novas ferramentas para extrair informações de RomulusC. Ao analisar a atividade do buraco negro na simulação do cluster, Informação gerada notou "algo estranho acontecendo quando suas galáxias hospedeiras pararam de formar estrelas. 

Surpreendentemente, muitas vezes vi um pico de atividade de buracos negros ao mesmo tempo em que a galáxia morreu”.

Desta forma, esse "pico" seria o grande e último festa do buraco negro, sob pressão.

Completando a informação: Tremmel disse que "RomulusC é único por causa de sua resolução requintada e da maneira detalhada pela qual trata buracos negros supermassivos e seus ambientes, permitindo-nos acompanhar seu crescimento".

Desta maneira, podemos chegar à conclusão de que o ambiente denso de um aglomerado de galáxias pode transformar radicalmente o conteúdo de galáxias em queda. Logo, são indiscutíveis as Observações recentes encontraram uma população significativa de núcleos galácticos ativos dentro de "galáxias águas-vivas", galáxias com caudas de gás e estrelas que indicam uma pressão significativa. Nesse sentido, é possível a relação entre os núcleos galácticos ativos e a pressão não é bem compreendida. 

De certa maneira, a investigação e a conexão entre a atividade núcleos galácticas ativas e tendo vista a pressão em uma configuração totalmente cosmológica pela primeira vez usando a simulação ROMULUSC.

Sendo que, as galáxias de massa inferior, tanto a formação estelar quanto o acreção do buraco negro são suprimidos pela pressão antes de chegarem ao pericentro, enquanto que para galáxias mais massivas o acreção no buraco negro é aumentado durante a passagem pericêntrica.

Assim, nossa análise também indica que, enquanto a galáxia retém gás, núcleos galácticos ativos com maiores proporções de Eddington são mais propensos a serem encontradas em galáxias que experimentam maior pressão. Desta forma, concluímos que antes de saciar a formação de estrelas, a pressão desencadeia um acréscimo aprimorado no buraco negro, que em nosso modelo então produz aquecimento e saídas devido ao gabarito dos núcleos galácticos ativos.

Fonte:
Angelo Ricarte, Michael Tremmel, Priyamvada Natarajan, Thomas Quinn. A Link between Ram Pressure Stripping and Active Galactic Nuclei. The Astrophysical Journal, 2020; 895 (1): L8 DOI: http://dx.doi.org/10.3847/2041-8213/ab9022

Postagens mais visitadas deste blog

Ondas gravitacionais - Detecção de buraco negro devorando estrela

10 coisas a saber sobre Vênus

O Telescópio Hooker em Mt. Wilson